Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge apresenta

XIX Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros

Encontro:

1. Ato de encontrar (-se), de chegar um diante de outro ou uns diante de outros.

2. Junção de pessoas ou coisas que se movem em vários sentidos ou se dirigem para o mesmo ponto.

Há 19 anos, um encontro foi criado na Chapada dos Veadeiros, no coração do Brasil.  De automóvel, avião, charrete, moto, ônibus, pau-de-arara, a pé e a cavalo chegam os forasteiros de perto e de longe para o encontro dos que se reconhecem nas manifestações dos povos dos campos, das roças, quilombos e aldeias.  Dividir sons, rezas, danças e prosas vira a rotina da Vila de São Jorge.

Um espaço-tempo que compartilhamos entre as mais diferentes culturas. São indígenas, remanescentes quilombolas, raizeiros, agricultores, rezadeiras, pajés, cantadores, dançadores, mantenedores de tradições. Todas as idades, todas as cores, todas as dores, todas as alegrias, todas as crenças, todas as origens. 

Se forem de boa fé, são bem-vindos. 

Durante nosso Encontro, refletimos que “cada terra tem um uso, cada roda tem um fuso”. E como dizia Dércio Marques: “Cada povo tem uma inteligência, uma pulsação, uma forma de entender o mundo. Tem uma perspicácia, um ingrediente para mexer com as coisas”. Para alcançar um mundo de paz, temos que encontrar a nós mesmos e aos outros. Respeitar o diferente, genuíno, autêntico. Encontrar suas belezas. Amar nossa própria fonte. Valorizar e fortalecer nossas raízes. 

Ao público, pedimos entendimento. Realizamos o festival em palco aberto e gratuito durante 17 anos. Desde 2018, nos reinventamos diante da situação do Brasil em relação às políticas públicas e ao setor cultural. Começamos 2019 com a extinção do Ministério da Cultura, que se transformou em secretaria anexada ao Ministério da Cidadania; vivenciamos cortes dos patrocínios da Petrobrás Cultural e da Caixa Cultural; e ameaças a áreas importantes, como à Lei Rouanet e ao Sistema S (que inclui o Sesc).

Junto aos parceiros do setor, e a você, buscamos novas formas de sustentabilidade para nossos projetos, para que eles aconteçam de forma independente. Uma das maneiras que encontramos foi a de cobrar pela atividades. 

Pagando o ingresso, você realiza o Encontro junto com a gente. 

De 20 de julho a 3 de agosto, vamos nos encontrar para encontrar. 

Convidamos à reflexão e discussão sobre o papel do Estado em relação aos povos tradicionais e aos projetos construídos em prol de seu fortalecimento.

Em meio a isso, teremos oficinas e shows de valor e mérito cultural, com artistas e agentes culturais vindos de diferentes Estados, que são as riquezas de nosso Brasil profundo.

Na programação, apresentações, cortejos, alvoradas, rodas de prosa, exibição de filmes e exposição e comercialização de produtos de artesanato e gastronomia tradicionais. Veja nossos convidados confirmados.

Prepare as malas e o coração. O Encontro vai começar.

São objetivos do Encontro de Culturas:

  • Preservar e fortalecer as tradições culturais existentes no Brasil e no mundo, com foco na região da Chapada dos Veadeiros e nas comunidades que deram origem ao Encontro: Sítio Histórico Kalunga, Colinas do Sul, São João d’Aliança e Niquelândia.
  • Valorizar as referências culturais e seus mantenedores, respeitando os participantes como intérpretes de sua identidade cultural.
  • Despertar nas comunidades de origem dessas tradições o sentimento de orgulho pelo pertencimento cultural no Brasil e suas manifestações culturais tradicionais.
  • Proporcionar ao público espetáculos de valor e mérito cultural.
  • Formar um público mais consciente de sua identidade cultural por meio de uma experiência de conscientização que reduz o pensamento etnocêntrico e preconceituoso alimentado pela desinformação sobre nossas culturas populares, revelando o valor estético indiscutível dessas manifestações e afirmando-as como arte contemporânea e atemporal.
  • Promover o desenvolvimento sustentável e social da região da Chapada dos Veadeiros.
  • Fomentar a divulgação da Convenção da Diversidade Cultural.