Programação

15/07/2017

Festa tradicional dos POVOS DO ALTO XINGU

14h  Início da programação aberta ao público

14h00  Abertura da exposição fotográfica “YANOMAMI - Olhares Ocultos”, do repórter cinematográfico André Rodrigo Pacheco

14h  Roda de Prosa II

Abertura da XI Aldeia Multiétnica: “Realidades dos Povos Indígenas no Brasil”, baseado no livro "Os Desafios do Indigenismo" de Fernando Schiavini, que fará palestra. Participação de todas as lideranças indígenas presentes. Participações especiais de Raoni Metuktire, Aritana Yawalapiti, Paulinho Payakan e Juliano Basso (Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge).

16h  Cantos e danças rituais no pátio central

Mawurawá - Festa do Pequi, que é celebrada quando a casa do cacique é construída na aldeia. Inauguração e celebração da nova casa xinguana da Aldeia Multiétnica. Com grande cantor Kurikare Kalapalo e o músico e Arifira Matipu que tocará a kluta - a flauta sagrada.

Yamurikumã - Festa das Mulheres

Luta Huka Huka com guerreiros xinguanos

18h  Encerramento da programação aberta ao público

16/07/2017

Festa dos MEBENGOKRÉ (KAYAPÓ)

14h  Início da programação aberta ao público

14h  Primeiro dia da oficina sobre as diferentes formas de gravar áudios e vídeos caseiros, com celular e câmeras digitais, mostrando que não é preciso ter equipamentos profissionais para registrar os cantos tradicionais dos povos para sua preservação e divulgação. Mediadores: Denilson Baniwa (Rádio Yandê) e Kamikia Kisedje (cineasta).

14h30  Palestra Dinâmica "Os Povos Indígenas e as Águas" - Informações sobre as situações de preservação das águas nas Terras Indígenas das etnias participantes. Colaboração de Terezinha Dias, pesquisadora da Embrapa.

15h  Roda de Prosa “Diálogos agroecológicos sobre agrobiodiversidade", com Terezinha Dias (Embrapa) – De onde vêm as sementes da agricultura (domesticação das espécies); o que é agrobiodiversidade; quem são os guardiões das sementes; e como as feiras de sementes podem contribuir para a conservação das variedades.

16h  Abertura do “Espaço Permanente de Diálogos Agroecológicos com Povos Indígenas”: conservação e uso da biodiversidade. Exposição + análise de mostruário com lupa + plantão de conversa com Terezinha Dias, da Embrapa.

16h  Cantos e danças rituais no pátio central

18h  Encerramento da programação aberta ao público

17/07/2017

Festa dos RIKBAKTSA

14h  Início da programação aberta ao público

14h  Roda de Prosa II: “A Música Indígena na Contemporaneidade”. Participação de Denilson Baniwa (Rádio Yandê), Ibã Kaxinawá (MAHKU - Movimento dos Artistas Huni Kuin) e músicos indígenas presentes. A importância da música para os povos indígenas; a diversidade da música indígena, que vai além dos cantos ancestrais e tradicionais, passando por estilos musicais e cantores que vão do rap à MPB e ao rock; o projeto do estúdio de gravação de música indígena de Denilson Baniwa; a maneira como os cantos ancestrais e tradicionais são transmitidos às novas gerações nas aldeias.

15h30  Feira de Sementes Tradicionais. Troca de Sementes e mudas entre as etnias presentes, quilombolas e pequenos agricultores.

16h  Cantos e danças rituais no pátio central

Apresentação da Dança do Tucano, tradicional da cultura RIKBAKTSA

18h  Encerramento da programação aberta ao público

18/07/2017

Festa dos XAVANTE

14h  Início da programação aberta ao público

14h  Palestra: “Museu do Cerrado - Uma Ação inovadora”, com Professora Rosângela Azevedo Corrêa (curadora) Faculdade de Educação, Universidade de Brasília.

*** Exposição fotográfica: "Águas Emendadas"

15h  Roda de Prosa II “Sabedorias de Cura: o sonho que orienta, os saberes e fazeres da terra, usos das medicinas tradicionais e das plantas medicinais encontradas na floresta e no cerrado”: a simbologia dos sonhos para os pajés indígenas, as plantas que curam. A importância do sonho para o dono da caça. A medicina tradicional do povo A’Uwe Xavante (banho de ervas, raízes e técnicas tradicionais associados à biodiversidade do cerrado) e a arte do Wedenhoro (pulseiras fitoterápicas feitas da sobrecasca de árvores do Cerrado). Com participação de pajés e lideranças indígenas presentes. Ao final, confecção e amarração tradicional das pulseiras Wedenhoro com os Xavante.

16h  Cantos e danças rituais no pátio central

18h  Encerramento da programação aberta ao público

19/07/2017

Festa dos GUARANI MBYA

14h  Início da programação aberta ao público

14h  Palestra: “O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a APA* de Pouso Alto e a questão do uso da água – Os desafios da Chapada”, com Fernando Tatagiba (Chefe do PNCV-ICMBIO), Sabóia (Presidente do Condema**) e Surya Mendes (Gerente Ambiental do município de Alto Paraíso).

16h  Cantos e danças rituais no pátio central

18h  Cine Aldeia com a exibição de Taego Awã e debate com Marcela Borela

20h  Encerramento da programação aberta ao público


20/07/2017

Festa dos KRAHÔ

14h  Início da programação aberta ao público

14h  Palestra: “O Fórum Mundial da Água e o Fórum Alternativo Diálogos e divergências”, com Sérgio Augusto Ribero (Chefe da Unidade Estratégica de Água da SEMA-DF e colaborador do CIRAT - Centro Internacional da Água e Transdisciplinaridade), Pedro Ivo de Souza (Presidente da ONG Terrazul e Coordenador do Fórum das ONGs e Movimentos Sociais).

15h  Roda de Prosa II “Comunicação, saberes tradicionais e novas linguagens indígenas”. Participação: Anápuáka (Rádio Yandê) Denilson Baniwa (Rádio Yandê), Kamikia Kisedje (cineasta), Cristino Wapichana (escritor), Ibã Kaxinawá (MAHKU – Associação dos Artistas Huni Kuin), comunicadores indígenas e não-indígenas presentes, Marcela Borela (Taego Awa) e André D’Elia (Demarcação Já).

16h  Cantos e danças rituais no pátio central

Tradicional corrida de toras do povo Krahô, com a participação das outras etnias indígenas presentes.

18h  Encerramento da programação aberta ao público

21/07/2017

Festa do Povo Fulni-ô

14h  Início da programação aberta ao público

14h  Roda de Prosa III “Os Cerrados e as Águas", com o Professor Altair Salles Barbosa, fundador o Instituto do Trópico Sub-Úmido-GO

16h  Cantos e danças rituais no pátio central

18h  Encerramento da programação aberta ao público e da festa dos FULNI-Ô

20h  Ida para São Jorge para Noite Indígena na Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, com Coco Fulni-ô e Forró com Mokuká Kayapó. Encerramento oficial da XI Aldeia Multiétnica e início da segunda etapa do XVII Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros.

***Espaço Permanente de Diálogos Agroecológicos com Povos Indígenas; conservação e uso da biodiversidade. Exposição + análise de mostruário com lupa + plantão de conversa com Terezinha Dias, da Embrapa.